15 novembro, 2006

O medo pode aprisionar-te; A esperança liberta-te

"Até hoje não faço ideia do que cantavam aquelas senhoras italianas. A verdade é que não quero saber. Há coisas que é melhor não desvendar. Agrada-me pensar que cantavam acerca de algo tão lindo, que não pode ser exprimido por palavras, e por isso mesmo nos toca no coração. Eu digo-vos que aquelas vozes voaram mais alto e mais longe que alguém num lugar cinzento ousa sonhar. Foi como se um lindo pássaro entrasse na nossa jaula e fizesse desaparecer aquelas muralhas e por um brevissimo momento todos os homens de Shawshank se sentissem livres."



"Ou pegamos a vida de caras ou nos decidimos a morrer. Pela segunda vez na minha vida, sou culpado de um crime. Violação da liberdade condicional. Claro que duvido que bloqueiem as estradas à minha procura. Por causa de um velho criminoso como eu, não. Estou tão excitado que mal paro quieto ou me concentro. Acho que é a excitação que só um homem livre pode sentir. Um homem livre no início de uma grande jornada cuja conclusão é incerta. Espero que o Pacífico esteja tão azul como nos meus sonhos. Espero..."

No melhor filme. "Os Condenados de Shawshank"

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
  2. Bastante antigo... mas MUITO BOM.
    mas com o legendário e brilhante Freeman, o que se poderia esperar ?
    uma história espectacular e marcante com uma brilhante fusão de talentos...
    Um dos muitos filmes de que eu adoro

    (mas já que falas tenho de o rever... já não me lembro muito bem)

    Um BJ Ganaipa *

    ResponderEliminar
  3. Eu adoro este filme. É lindo!

    ResponderEliminar